Arquivo da categoria: As 8 Visões de Zacarias

A Terceira Visão de Zacarias [Jerusalém é Medida, a Fita de Medir] – PARTE I

Zc 2,1-13

 

Terceira visão de Zacarias: a golah deve retornar, para que Jerusalém seja repovoada, e o território de Jerusalém deve ser expandido. Assim, as três primeiras visões desdobram em três passos o que vai num só no Sl 102,13-23: a (re)construção de Jerusalém (v. 17) é a criação do povo (v. 19b).

Lá, se dizia: vocês devem reconstruir o Templo, para Deus voltar pra casa. Ali, que os sacerdotes deviam entender que os harashim eram eleitos de Yahweh para aquela grande obra.

–2.1 e 2

Survey.or – Fazer um levantamento topográfico, Inspecionar, Vistoria Cuidadosa – Provável tarefa dos Harashim na primeira visão (Zc 1. 10 e 11).

Dizia respeito a medir todas as dimensões: Altura, Largura, Distâncias, Profundidades… e … arisco-me a dizer também, espiritualmente: Medir a Santidade, para que pudessem trabalhar no serviço da Reforma.

 

Amos 7.7-9, 17 – Paralelo da Medição

Jeremias 32.1-15 – Temos o direito de possuir. Se comprarão Terrenos (SAEM, posses de volta para o Reino).

Essa é uma idéia do Senhor de Restauração e Reforma. Primeiro possuir (devolver a quem é de direito) e depois construir.

Ezequiel 40.3 e 4 – Ezequiel começa a receber a revelação da construção do Tempo. Este Templo é um modelo que o próprio Deus havia dado. Ezequiel fez parte do primeiro grupo de exilados.

Mas não somente ele, como também alguns dos líderes e cabeças,e, principalmente os Harashim que trabalhavam ali. (2 Rs 24.14).

Ao que parece, Deus estava revelando sobre sua Reforma e a Reconstrução de Jerusalém, logo nos primeiros anos de seu exílio. Certamente o Senhor estaria dando a planta da construção à Ezequiel, para que Zacarias “herdasse” e providenciasse a reconstrução. (não há indícios de que os dois profetas se conhecia, é provável que não, mas estavam envolvidos no mesmo projeto).

 

Relação com Ezequiel

Do Capítulo 40 – 48 de Ezequiel estabelece-se uma perfeita relação entre Ezequiel e a Terceira Visão de Zacarias.

Apocalipse 11.1 e 2 – João recebe uma vara e uma ordem de medir o tempo e aqueles que ali adoravam.

Meça tudo você mesmo!

O trabalho designado a ele foi o de estabelecer uma Vistoria e conhecesse o nível.

Qual o nível que Deus espera que tenhamos para trabalhar nesta última Reforma?

O nível daquele que “nele adoram”, ou seja, daqueles que estavam adorando no Templo, onde “Deus habita”. Tornou-se agora uma tarefa restrita àqueles que sabem o que é Santidade e Arrependimento, uma vez que o Senhor estabeleceu um parâmetro para ser tomado como modelo.

Temos que adorar como no Céu se adora a Deus.

–2.3-5

Agora como fazer com que um povo que achava que Deus não estava mais do seu lado, acreditasse em tudo isto, trabalhasse e na reconstrução.

Não tinham mais riqueza, os homens fortes foram dizimados, nem animais e nem bens; haviam esquecido o que significava a palavra “muro”. Tudo que eles tinha foi incendiado e foi-se a “Glória de Jerusalém”, como disse Ezequiel.

Só há um meio de recrutar um povo desistido como eles. Fazendo-os Sonhar! Este descrito, um por um em 3 versículos.

Isaías 49.19 e 20 – Descreve o futuro de Sião, estreita demais para os que habitarão lá. Será um local pequeno para a quantidade de filhos que retornarão.

Jeremias 31.27 – Promessa de multidão de homens e animais.

Ezequiel 36.11 – Além da multiplicação diz: “e serão melhores que outrora”.

É inevitável, mas agora remeto-me a passagem bíblica descrita em Gênesis.

Fica claro agora que o que Yavé estava querendo era estabelecer novamente o governo dado ao homem há séculos atrás, através de Adão, no Éden.

Muro de Fogo ao redor

A lembrança que marcava a mente do povo era a de seus muros incendiados.

Mas o que foi desgraça, agora se transformará em proteção.

Hebreus 12.28 e29 – “Porque nosso Deus é fogo consumidor”.

Exodo 13.21 – Coluna de Fogo para os alumiar.

Agora mais que proteção, o muro de fogo em que se tornaria o Senhor seria a sua indicação diária para a vida. Eles não seriam apenas “iluminados na escuridão”.

Escuridão significa falta de conhecimento, e no caso deles, no momento das Visões de Zacarias, necessitavam também que o Senhor os guiasse naquela grande reforma, instruindo e ajudando-os a sair das trevas de desistência, falta de fé e inconstância. Precisavam entender o que significaria aquela reconstrução, que era muito mais além do que apenas levantar uma cidade, mas sim, levantar um modelo que pudesse trazer luz aos povos, tirá-los do pecado.

Em apenas 5 versículos, o profeta Zacarias expressou tudo o que se desdobraria dos versos 6-13.

Em breve, parte II…

Shalom!


A Segunda Visão de Zacarias [Os Quatro Chifres e os Quatro Ferreiros]

Zc 1,18-21

Estrutura

Estruturalmente é uma nova visão, mas a essência da narrativa e as personagens são as mesmas. Ainda é o anjo que falava comigo que vai se pronunciar em Zc 2,2. O profeta permanece na cena. Surgem os quatro chifres. E o profeta, reconhecendo estes quatro ferreiros(harashim) (2,3-4), precisa apenas saber o que vieram fazer.

Porque os Harashim e o que era difícil

Não é que não saiba quem são – o que o profeta quer deixar claro é o que eles vieram fazer.

O cenário é novo. Em 1,1-17, a visão se dá no Vale dos Harashim (1 Cr 4,14; Ne 11,35).

O espanto de Zacarias é por que, como Deus usaria Harashim para libertar os Judeus… pra que usá-los.

Talvez o difícil mesmo não seja tanto convencer os harashim (expulsos do Templo – Is 3.1). Talvez o trabalho mais difícil tenha sido convencer os mais zelosos dentre os judaítas já particularmente zelosos de que fabricantes de ídolos podiam, sim, pôr as mãos nas pedras com as quais se construiria a casa de Deus.

Outro agravante é que há entre eles religiosos intransigentes, fundamentalistas, difíceis de dobrar. Estamos diante de um caso indiscutivelmente político, o Templo é, ao mesmo tempo, a sede do poder legislativo, executivo e judiciário.

A cena é parecida com At 10,1-48. Há um paralelo perfeito

Atos 10 trata-se da INCLUSÃO DOS GENTIOS: “eis que Deus concedeu também às nações pagãs a conversão que conduz à vida” (At 11,18). Observe-se que em Zc 1,7-2,17, trata-se do tema da INCLUSÃO DOS HARASHIM.

Voltemos a Zacarias: não é rigorosamente isso que faz Yahweh, pessoalmente? Como Jesus fará mais tarde, não está Yahweh a concertar as coisas do ponto de vista teológico? Não está Yahweh em pessoa fazendo o profeta ver os harashim pela mesmíssima razão de que não fora a intervenção de Yahweh, os harashim não seriam considerados dignos para a obra de reconstrução do Templo?

A quem se dirige a segunda visão

A segunda visão dirige-se aos líderes religiosos de Jerusalém, porque se os líderes não se derem conta de que os harashim são imprescindíveis, a Casa de Yahweh vai permanecer um monte de ruínas. E, uma vez que a tradição desqualificara radicalmente as suas atividades (Desde a época de Isaías os harashim haviam sido afastados do trabalho no templo por construírem também ídolos de metal).

Somente uma radical intervenção de Yahweh os poderia tornar, como por assim dizer, puros, para retomarmos a expressão de At 10,15b.

É para tanto que Yahweh fala pessoalmente ao profeta e lhe faz ver os quatro harashim. O profeta por si mesmo não veria nos harashim a oportunidade que Yahweh concedia a Jerusalém para reconstruir a sua Casa.

Zacarias não tem, portanto, culpa alguma de tê-los mobilizado – que poderia fazer, se é o próprio Yahweh quem o fez ver os harashim!?

Visão Ouvintes Centro teológico
Primeira, Zc 1,7-17 Os harashim O Templo deve ser reconstruído, para que Yahweh volte a Jerusalém
Segunda, Zc 2,1-4 Jerusalém e seus líderes religiosos Yahweh é quem pessoalmente indicara os harashim para a construção do Templo
Terceira, Zc 2,5-9.10-17 os cativos A golah deve repovoar Jerusalém, para que Yahweh esteja

 

Desejo de Deus

O desejo de Deus é tanto que sua Casa seja reconstruída (Zc 1,16), quanto que Jerusalém seja repovoada (2,8b-9), porque, nos dois casos, é assim que Yahweh retornará para Jerusalém e para sua Casa (Sl 126,1.4).

Deus queria construir um Santuário Nacional que fosse lembrado e desejado como modelo em todas as nações.

E nossa revelação diz: O Reino de Deus precisa ser estabelecido. Estabelecer uma Reforma. Que seja exemplo para o undo, assim como deus desejou construir um Santuário Nacional desejável por todos.

Mas há um problema: os harashim não parecem animados . “toda a terra repousa e está tranqüila”.

 

Mas quem são os 4 poderes

Os quatro chifres poderiam ser as Nações que afrontaram Jerusalém realmente, mas poderá ser também o que realmente causou a derrota deles. O orgulho de Judá.

Os chifres de Judá estão caídos porque ela está humilhada. É ridicularizada dia após dia. Assoviam quando passam por ela, é o que se diz.

Vejam, por exemplo, um caso parecido. Neemias (Ne 2,11-17).

Ao que parece agora que 4 chifres derrubados seriam os 4 orgulhos de Jerusalém: Os Muros, As Portas, A Porta da Fonte, A Represa do Rei (Ou assude, ou viveiro). Eram orgulho nacional.

A mesma reflexão fez Zacarias, provocado por Deus.

Penso, pois, que os chifres representem o estado de humilhação de Judá. Caídos os chifres de Judá, levantados os das nações que zombam de Judá.

Que fazer? Reconstruir o Templo.


A Primeira Visão de Zacarias [Os Cavalos]

Zc 1.7-17 e 25

Para mim, o centro da primeira .visão. é a declaração de Yahweh: .eu me volto para

Jerusalém com misericórdia, a minha casa será ali reconstruída. (1,16). É aí e assim que tudo começa.

Seja o sistema das visões, seja o projeto da Reconstrução.

Nessa primeira visão, Zacarias encaminha-se ao Vale dos Harashim, região geográfica citada duas vezes em: 1 Cr 4,14 e Ne 11,35.

 

Harashim, no Antigo Testamento, constituem uma categoria profissional indiferenciada, particularmente relacionada à manipulação de metais, mas também de pedra e madeira. Foram responsáveis pela construção do Templo de Salomão e, posteriormente, desprestigiados pelos deuteronomistas por conta de sua relação com a fabricação de ídolos de metal, pedra e madeira e suas práticas religiosas heterodoxas. A tradução corrente e mais comum ferreiros é aproximada, uma vez que somente o contexto pode dar a precisão semântica que o termo, isolado, não conhece

Harashim foram expulsos do convívio do Templo: Is 3.1-3.

O objetivo de sua viagem teria sido convencer os harashim, cuja guilda estaria instalada no vale de mesmo nome, a aceitar a tarefa de (re)construção do Templo de Jerusalém.

 

Parece que Zacarias era profeta e que sabia que precisava ir atrás dos artífices, onde eles estavam, adormecidos por que haviam sido os responsáveis por construções. (Moisés – tabernáculo e Salomão – templo)

Eles eram o Cavalo Vermelho, bronze. Construtores.

 

Os Reconstrutores precisam uma visão profética, uma revelação.

MURTAS

O termo hebraico para murtas tem outra versão que diz “montanhas”.

Observe a frase do profeta Zacarias: .”eu tive uma visão durante a noite” (Zc 1,8).

Some-se a isso o fato de que o que Zacarias diz ter visto “manifesta-se” diante dos seus olhos “num vale profundo”.

Isso propõe a idéia de que Zacarias estava à procura dos Harashim. À mando de Deus.

Agora imagine o Profeta Zacarias, após ter recebido tal visão.

Deve ter ido ao Vale dos Harashim, para contratá-los para a grande tarefa da (re)construção do Templo. Chega lá de noite. A visão do “vale profundo”, certamente iluminado desde lá de baixo, mas somente lá embaixo mesmo, pelo fogo dos fornos e da forja…

PASSIVIDADE DA TERRA

(V. 11) Já percorremos a terra e toda ela está Repousada e Tranquila.

Não vejo a passividade da terra como sinal de que acabou a guerra e de que, agora, Judá pode ser reconstruída.

A guerra acabou desde 538, mas estamos em 520 ou 515. A guerra acabou faz é tempo.

A passividade de que se fala é justamente essa: Já faz tempo que o Templo devia estar de pé, e ora vejam só, ninguém fez nada a respeito!

 

Há uma sensação de demora no ar: Até quando demorarás ainda a ter piedade de Jerusalém e das cidades de Judá, contra as quais estás irado, há setenta anos?. (Zc 1,12b).

Sl 102.13-15

 “tu te levantarás, enternecido por Sião, pois é tempo de teres piedade dela; sim, chegou a hora; porque os teus servos amam suas pedras, compadecidos da sua poeira”

Cristo é sempre alguém. Eu e Você. Ele faz seu Reino bem vindo através de seus filhos, nós.

Então essa demora não é de Deus, nós sabemos. É de alguém. E se a terra está assim, parada, a culpa é de alguém.

Parece que Zacarias assume a tarefa de ir lá e dar uma boa sacudida na terra…

Zacarias arranca um acordo. Sai de lá com uma certeza:

Yahweh consolará Sião novamente, ele elegerá novamente Jerusalém. (1,17).

O primeiro passo é buscar Harashim (Moisés foi um), que são os Reformadores, engenheiros do Reino de Deus. Aqueles que têm estratégias e céus abertos para recebê-las.

Os Reformadores “são os que o Senhor tem enviado para percorrerem a terra.”


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.